Confinamento – Álbuns de Jazz, Blues e afins pra ouvir em casa

Olá! Hoje abriremos um parêntese nos assuntos de trabalho pra falar de algo que ajude a nos distanciar um pouco da avalanche de informações – e elas são muitas! – sobre o famigerado Corona Vírus. Assim, listamos alguns discos de Jazz, Blues, Soul e Rock para, de alguma forma contribuir com o bem-estar de todos nesse momento tão incomum. Esperamos que gostem:

Álbum: See Yourself ft. James Vincent McMorrow [Single]
Artista: Moreton
Ano: 2019
Estilo: Jazz
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: Sending My Love (Special Edition)
Artista: Matthew Halsall
Ano: 2019
Estilo: Jazz
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: Colour Yes (Special Edition)
Artista: Matthew Halsall
Ano: 2019
Estilo: Jazz
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: The Call – Live In Nashville [EP]
Artista: Reed Miller Trio
Ano: 2018
Estilo: Jazz

Streaming: Bandcamp

Álbum: Let’s Call it a Day
Artista: Renée Yoxon & René Gely
Ano: 2010
Estilo: Jazz

Streaming: Bandcamp

Álbum: Addicted
Artista: Renée Yoxon
Ano: Jazz
Estilo: 2020
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: A New Kind of Water
Artista: Jessica Ackerley
Ano: 2019
Estilo: Jazz

Streaming: Bandcamp

Álbum: Love & War [EP]
Artista: Three Minute Heist
Ano: 2013
Estilo: Blues/Rock

Streaming: Bandcamp

Álbum: Liberties and Delights
Artista: Collin Sherman
Ano: 2019
Estilo: Jazz
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: I See
Artista: Cam Cole
Ano: 2019
Estilo: Blues/Rock
Streaming: Bandcamp Spotify

Álbum: The Red
Artista: Dominique Fils-Aimé
Ano: 2019
Estilo: Jazz/Soul
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: Immanent Fire
Artista: Emily Jane White
Ano: 2019
Estilo: Folk Music
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: Imagine The Crackle
Artista: Bellhound Choir
Ano: 2016
Estilo: Blues/Rock
Streaming: Bandcamp / Spotify

Álbum: Redefine my pure faith
Artista: All My Faith Lost …
Ano: 2014
Estilo: Indie Rock

Streaming: Bandcamp

Álbum: Opelousified
Artista: Opelousas
Ano: 2019
Estilo: Blues/Rock

Streaming: Bandcamp

EXCEL – 10 CURSOS ONLINE E GRATUITOS

 Conteúdo integralmente reproduzido do site da Revista Você S/A

Um dos programas mais usados do Pacote Office, o Excel é também um dos mais temidos por que não domina suas funções completamente.  O editor de planilhas mais usado no mercado aparece como requisito de vagas de emprego sobretudo para quem é das áreas administrativas, de contabilidade e finanças.

Com ele é possível criar planilhas com base em modelos ou por conta própria, fazer cálculos utilizando fórmulas e criar gráficos para facilitar a apresentação dos dados. Mas como fazer isso? É o que você vai aprender com estes cursos e aulas online grátis:

[1] Treinamento de Excel para Windows no site da Microsoft

No site da Microsoft é possível aprender gratuitamente a mexer nos programas do Pacote Office. Sobre Excel, há desde tutoriais  básicos sobre como criar uma pasta de trabalho no Excel a ações como fazer tabelas, gráficos, tabelas dinâmicas e criação de fórmulas.

Como encontrar: no site da Microsoft


[2] Curso de Excel do Projeto Meu Brasil

O curso online grátis de Excel tem 10 aulas e ensina a formatar células, trabalhar com fórmulas matemáticas e outras funções do programa. Também ensina a fazer planilhas, gráficos, usar formatação condicional, função SE.  O aluno pode fazer uma prova para testar se aprendeu.

Inscrições: no site do Projeto Meu Brasil 


[3] Curso Excel 2016 básico da Fundação Bradesco

O curso de introdução ao Excel 2016 básico,da escola virtual da Fundação Bradesco tem 15 horas de conteúdo. Ensina a editar pasta de trabalho, planilha, formatar tabelas e células, fórmulas e gráficos. Além da versão 2016, há cursos para versões anteriores do Excel (2007, 2010 e 2013) disponíveis na plataforma da Fundação Bradesco

Inscrições: no site da Fundação Bradesco


[4] Curso Excel 2016 Intermediário da Fundação Bradesco

Com 20 horas de duração, o curso tem três módulos e é recomendado àqueles que já fizeram o curso básico. O primeiro é sobre Modelo de pasta de trabalho. Em seguida, o aluno vai aprender a mexer nas funções do Excel e no terceiro módulo, o tema são os elementos gráficos.

Inscrições: no site da Fundação Bradesco


[5] Curso Excel 2016 Avançado da Fundação Bradesco

Com 30 horas de duração, o curso avançado ensina como utilizar recursos da versão 2016 como, por exemplo, nome (utilizado em células com fórmulas), subtotal, filtro avançado, importação e exportação de dados, cenários, análise rápida. O aluno vai aprender a personalizar a Faixa de Opções, funções financeiras, estatísticas, tabelas dinâmicas, criação de formulários para consulta e visualização de dados.

Inscrições: no site da escola virtual da Fundação Bradesco


[6] Curso de Introdução ao Excel do Iped

A versão grátis do curso de introdução ao Excel tem 12 aulas e começa com requisitos do programa e acesso ao software. Há aulas sobre criar e salvar planilhas e sobre o que é uma planilha eletrônica , inserção de imagens e como trabalhar com o assistente do Office.

Inscrições: no site do Iped 


[7] Curso de função máximo e mínimo em planilhas do Excel do Iped

Com duas aulas disponíveis gratuitamente, o minicurso ensina a trabalhar com a função máximo e mínimo e também com porcentagem nas planilhas feitas de Excel.

Inscrições: no site do Iped 


[8] Curso de formatação condicional do Iped

A versão grátis traz duas aulas sobre como criar formatação condicional no Excel.

Inscrições: pelo site do Iped


[9] Curso de Introdução a matemática financeira no Excel

São duas aulas disponíveis na versão grátis, uma de introdução à matemática financeira e outra sobre funções de cálculos percentuais, juros, empréstimos e taxas.

Inscrições: pelo site do Iped


[10] Microsoft Excel uma abordagem prática no site da Unieducar

Há uma versão introdutória grátis do curso de Excel oferecido na plataforma. Com quatro horas de duração e apresentação de alguns conceitos básicos para usar o software, é um útil como um teste de adaptação à didática das aulas.  Ao se matricular, o aluno terá 30 dias para concluir o treinamento.

Inscrições: no site da Unieducar


Fonte:

Feedback: você está acolhendo ou apenas dando sua opinião?

“O feedback é importante mesmo se tudo estiver correndo bem”

É inegável: o colaborador que trabalha satisfeito, ciente das suas responsabilidades com a empresa e que sabe que seu trabalho é reconhecido e valorizado rende muito mais. A incerteza do colaborador sobre se sua forma de trabalho e os resultados que entrega estão dentro do que a empresa espera pode ser muito prejudicial para o seu rendimento, o que acaba por refletir no desempenho da empresa como um todo. Por isso a grande importância do feedback para o desenvolvimento de toda a equipe.

A palavra feedback vem do inglês, e representa a junção de feed (alimentar) e back (de volta), ou seja, essa tradução pode ser tida como o ato de realimentar, dar resposta a uma atitude ou comportamento. Em outras palavras, o conceito de feedback é definido como a comunicação feita entre duas ou mais pessoas, na qual uma delas é avaliada pelos demais com relação às suas ações, comportamentos, tarefas, entre outros.

Basicamente, esse conceito é aplicado quando uma pessoa conta à outra o que acha sobre a sua performance e como ela pode torná-la melhor. Isso faz com que o desempenho melhore, e que a pessoa descubra algo que ela nunca percebeu.

A prática do feedback é considerada pelos profissionais como a melhor forma de medição e avaliação de seu desempenho. É comum que empresas percam grandes colaboradores pela simples falta de prática de aplicar feedbacks. Na incerteza sobre se seu trabalho está de acordo com os desejos da empresa, muitos colaboradores optam por procurar outro lugar para trabalhar, por acreditarem que esta decisão seja mais segura. A incerteza gera um estresse e mal-estar desnecessário no ambiente de trabalho e em toda a equipe, que pode trazer consequências desastrosas para o resultado da empresa.

O feedback é importante mesmo se tudo estiver correndo bem. Meta atingida e resultados satisfatórios merecem elogios, as pessoas são vaidosas e necessitam saber que seu trabalho duro foi reconhecido. Feedbacks negativos são igualmente importantes, pois permitem que o colaborador compreenda onde está a sua falha e consiga revertê-la em tempo hábil.

Um jeito mais humano de dar feedback

A pergunta de hoje é: Você está dando feedback ou sua opinião? Carol Manciola, Sócia-Diretora da Posiciona Educação e Desenvolvimento, faz algumas provocações em seu livro “Bora Bater Meta” sobre o assunto e compartilha um jeito mais humano de dar feedback.

“Criar um ambiente de confiança amplia a frequência e a intensidade dos feedbacks. Se compreendo que estou sendo sinalizado ou orientado a fazer diferente porque o outro quer o meu bem, fico mais disposta a me arriscar e a me expor. Quanto mais me exponho, mais feedback posso receber e mais rápido posso fazer as correções necessárias à minha evolução”. Confira o método a seguir:

Primeiro passo – Checar a Consciência

O colaborador tem consciência da situação? Se sim, vá para a próxima etapa. Se não, torne consciente a ação relatando o fato observado.

Segundo passo – Checar a compreensão do impacto

O colaborador reconhece o impacto que o fato tem? Se sim, vá para a próxima etapa. Se não, discutam juntos os possíveis impactos causados pelo comportamento, exercitando a empatia.

Terceiro passo – Educação

O colaborador sabe como fazer diferente? Se sim, avaliem juntos se o jeito adotado é o melhor diante da expectativa de resultados. Se não, oriente a pessoa sobre como fazer diferente. E observe. Reconheça se ela agiu corretamente. Se não, reinicie o processo.

Por final, agradeça, observe, disponibilize-se, empodere e gere compromissos. “Costumo dizer que a história de alguém é importante, mas os resultados conquistados por meio de suas atitudes é ainda mais. Observar padrões de comportamento é a melhor maneira de entender se a maneira de fazer algo é adequada ou não”, finaliza Manciola.


FONTE

Administradores.com

LinkedIn – Dicas para um perfil campeão

LinkedIn é, hoje, a principal rede social para network. Tanto empregadores quem busca recolocação usa a plataforma para a divulgação de seus resultados profissionais. Por isso, listamos algumas dicas que ajudarão a criar um perfil campeão.

Perfil em outro idioma

Algumas pessoas escrevem o seu perfil em outra língua, grande parte em inglês, o que eu não aconselho, pois ter um perfil somente em inglês, limita um pouco o seu alcance. Sim, vivemos em um mundo no qual a língua inglesa é importantíssima e por isso é essencial que tenhamos o domínio dela, isso sem dúvida. Porém, lembre-se que nem todos falam a língua, inclusive alguns recrutadores, pense nisso! O que muitos não sabem é que há um recurso que permite que você crie um “espelho” do seu perfil em outra língua, com um link idêntico ao original. Portanto você não precisa ter um perfil somente em inglês ou em outra língua. Você deve acessar a opção “Editar perfil”, colocar o mouse em cima da seta ao lado do botão azul “Visualizar perfil como” e selecionar a opção “Criar perfil em outro idioma”. Você será então direcionado para uma página que permitirá editar suas informações na língua escolhida.

Desative atividades temporariamente

Todas as atividades que você realiza na rede aparecem para seus contatos, quando você troca uma foto, quando você faz uma alteração em seu perfil, se você inclui alguma experiência de trabalho, etc. Caso você não queira que as pessoas vejam que você está atualizando seu perfil, você precisa desligar temporariamente esse recurso. Para isso, clique em Settings no menu abaixo do seu nome no canto direito superior. No “Perfil”, clique em “Turn on /off para Activity Broadcasts”. No pop-up que aparece, desmarque a caixa e clique em Salvar. Mas não esqueça de voltar a essa definição e verificar se a atualização foi realizada com sucesso no seu perfil.

Palavras-chave

Muitos sabem que o recrutadores utilizam filtros em vários sites para conseguir candidatos, no LindedIn não é diferente. É por isso que as palavras-chave são tão importantes. Para ficar na mira dos recrutadores e aumentar suas chances de recolocação , alinhe suas palavras-chave com o cargo que você está tentando conquistar. Você pode procurar no google sua descrição de cargo, basta colocar sua função e a palavra “descrição de cargo” e você encontra várias pesquisas que poderá se basear, compare o que você faz hoje com a sua descrição, veja se faltam palavras essenciais das suas atividades e preencha seu perfil. Caso você tenha dificuldade, existem várias ferramentas que poderão ajudá-lo nessa tarefa. É recomendado você usar mais de uma. Aqui estão algumas: Google AdWords, WordStream Keyword Tool, KeywordEye, KeywordSpy e SEMRush.

URL Personalizada

URL é o endereço que você será localizado no Linkedin. Quando você personaliza a URL torna a busca mais fácil e mais atraente do que uma sequência de letras e números sem sentido. Pode ser construída com seu primeiro e último nome e incluir mais informações. Para configurar a sua URL, clique em Perfil no menu superior e escolha Editar Perfil. Em seguida, clique em na figura da engrenagem, ao lado da URL abaixo da sua imagem. No lado direito da página, sob suas configurações de perfil público, é onde a sua URL atual é listada. Clique em editar para personalizá-la.

Recomendações

As Recomendações de ex-chefes, colegas de trabalho são muito importantes no seu perfil da rede, elas dizem muito sobre você e tem o mesmo valor de uma referência profissional. Como conseguir uma recomendação de meus colegas? A melhor forma para se obter uma recomendação é recomendar alguém. Procure apenas pessoas que conhecem bem o seu trabalho. O mesmo vale para recomendar, só recomende quem você tem confiança no trabalho executado.

Crachá do LinkedIn blogs e sites

Já pensou em usar o logo do LinkedIn na assinatura de e-mail, site, sites de redes sociais ou em outros perfis? Sim, isso é possível, através de um recurso que está disponível para todos. E mais, isso cria backlinks para sua página de perfil, o que melhora a sua visualização e ranking no site. Para isso será necessário utilizar um código que o Linkedin disponibiliza. Clique em Perfil e depois em Editar Perfil. Agora clique no mesmo lugar que você fez para ver a URL personalizada. Na coluna do lado direito de navegação, próximo ao fundo, você verá “Badges” ou “Seu crachá de perfil público”, logo abaixo, clique no link e lá terá todas as instruções de como criar um distintivo perfil. Caso tenha dúvidas, entre em contato com a central de ajuda do Linkedin.

Compartilhe o seu trabalho

Um recursos interessante. Existe uma forma de divulgar o seu trabalho nos seus grupos. Caso você queira adicionar links para seus artigos, ou profissionais da área de TI que queiram mostrar as diferentes formas de tratar um problema ou compartilhar links para diferentes ferramentas, informações sobre tecnologias relevantes, isso é possível. Através de aplicativos do LinkedIn, é possível compartilhar apresentações do PowerPoint, ou armazenar uma cópia de seu currículo que está disponível para download. Procure na página Applications LinkedIn.

Headline

Headline nada mais é do que o título do seu perfil, ou seja a função para a qual você trabalha ou está procurando recolocação. Lembre-se seu perfil navega por toda a rede com esta informação, portanto ela é importantíssima, é através dela que todos identificarão a sua identidade profissional. Se você está procurando recolocação, ou está em fase de transição de carreira, você pode colocar a descrição da função que esteja mais alinhada aos seus interesses hoje. Você pode também não ficar limitado a apenas uma, pode colocar algumas das funções que você hoje se dispõe a trabalhar. Lembre-se, este campo tem 140 caracteres, use-o com inteligência. Coloque de maneira clara, evite colocar seu título em inglês. O linkedin tem a possibilidade de fazer um “espelho” do seu perfil todo em inglês, como já expliquei no primeiro tópico. Portanto use seu perfil principal em português.

Contatos

Se você tem muitas conexões e quer organizá-las de maneira que fica fácil sua busca, este recurso será muito útil. Você poderá criar listas, é muito fácil. No menu “Minha rede”, clique em “Conexões”. Abaixo das últimas atualizações dos seus contatos, você verá o nome de todas as pessoas que já adicionaram você no LinkedIn. Clique em “Marcador” para classificar aquele pessoa em um determinado grupo, como “colegas de classe”, “amigos” ou “parceiros”. Se você preferir, também poderá criar novos marcadores e mais tarde fazer buscas segmentadas por contatos de acordo com suas “listas”.

Aprimoramento de networking

Como isso pode te ajudar? fazendo buscas das páginas das universidades no linkedin, você pode encontrar ex-alunos que trabalham em empresas que você gostaria de trabalhar e que podem ser inclusive pessoas com as quais você conviveu. Com isso você pode conseguir aproximação com estas pessoas e melhor seu networking. É um bom caminho para quem não sabe como começar a interagir na rede em busca de melhorar seus contatos ou mesmo conseguir mais chances de recolocação. Para descobrir este recurso vá em minha rede, encontrar ex-alunos, que encontra-se na página principal, logo abaixo de pesquisa.

Ferramenta para medir seu comportamento na rede.

Existe um ferramenta do LinkedIn que chama-se “Social Selling Index” ou “Indice de Vendas sociais”. Esta ferramenta faz uma avaliação do seu comportamento na rede, com base nas suas informações de interação. Com isso você pode medir sua eficácia em estabelecer uma marca profissional, localizar pessoas e cultivar relacionamentos, ou seja, como você está desenvolvendo o networking.


REFERÊNCIAS: