Equipes #4 – Dimensão da Cultura Organizacional nas Instituições

Os aspectos da cultura organizacional estão agrupados em níveis, e formam padrões de comportamentos que, no plano cognitivo, possibilitam a passagem do simbólico para o concreto. Determinam tendências que deverão transformarem-se em pressupostos da cultura estabelecida. Então, consolidar-se-ão como valores compartilhados pelos membros da organização.

Schein apud Freitas (1991, p.10), estrutura níveis que delimitam domínios específicos. Estes domínios equivalem a categorias epistemo-antropológicas que estão divididas em artefatos e criações, valores e pressupostos básicos, etc. Estes, por sua vez, estão agrupados em crenças e pressupostos, ritos, rituais e cerimônias, histórias e mitos, tabus, heróis, etc.


Anúncios

Equipes #3 – Conceito de Cultura Organizacional

Etimologicamente a palavra cultura tem sua origem no termo “colere”, oriundo do latim, e significa cultivar. Santos (2006, p. 110) define cultura como algo que “[…] diz respeito a tudo aquilo que caracteriza a existência social de um povo ou nação, ou então de grupos no interior de uma sociedade”.

Quadro que permite idear o conceito de cultura como sendo o fenômeno cujo significado está ligado ao cultivo e a manutenção do conjunto das atividades humanas; às relações que os homens formam entre si; aos processos de interação, que engendram os mecanismos de comunicação e de linguagem que, por sua vez, determinam o conjunto de conhecimentos, crenças, leis, costumes, etc.

Evocando o conceito de cultura nas organizações, Robbins (1999, p. 374) relata que as  organizações se constituíam num meio através do qual se pretendia controlar pessoas, mas que, em meados dos anos 80 deu-se uma mudança gradativa, haja vista que organizações são mais do que formas de controle. “Elas têm personalidade também, como os indivíduos.”

Ao inserir o conceito de cultura nas organizações, Schein (2009, p. 1) descreve que introduzindo a cultura no plano da organização, pode-se verificar como a cultura é instituída, vivenciada e manipulada de modo a fornecer significado aos membros do grupo.

Farias (2002) relata que os símbolos instituídos numa organização (expressões verbais e visuais, juntamente com as mensagens expressas por produtos e propagandas) estruturam a formação da cultura, que, por sua vez, moldará a identidade organizacional.


Equipes #1 -Resumo do Estudo

O surgimento de equipes de trabalho no âmbito das empresas é um assunto bastante relevante para o contexto das organizações do século XXI. Compreender como um grupo de trabalho ganha consistência ao ponto de tornar-se equipe é um fenômeno merecedor de especial atenção. Nesse sentido, da necessidade de se compreender tal fenômeno e da importância que isto tem para a identificação de oportunidades de refinamentos quanto à dinâmica funcional das organizações com vistas ao aprimoramento do papel dos profissionais de RH, decorre a finalidade deste estudo. Pensar sobre a coerência entre a filosofia e a cultura das organizações; relacioná-las com o modo segundo o qual operam para entender sua fisiologia é a proposta desta pesquisa. Dessa forma, baseando-se nos sistemas administrativos de Rensis Likert, será delineado, por meio de estudo de campo, o perfil da empresa estudada com o objetivo de saber quais os traços culturais que marcam, facilitam, dificultam ou, simplesmente, não se aplicam à formação de equipes alinhadas à cultura organizacional. Pretende-se, com isso, apropriar-se de um conhecimento tácito que permita contribuir com alternativas concretas para a questão proposta.

Palavras-chaves: Cultura Organizacional; Trabalho em Equipe; Recursos Humanos.


EQUIPES ## – Estudo – Apresentação

As características mais marcantes da contemporaneidade para todos os profissionais são, possivelmente, 1) a revolução tecnológica que ora vivenciamos e 2) a velocidade da informação. Juntos, esses 2 aspectos deslocam o eixo sobre o qual temos sustentado nossas relações profissionais individual e coletivamente.  Portanto, o momento exige uma postura de atenção e de disposição para assumir responsabilidades na gestão das mudanças. Para tanto, buscar aprender continuamente é a forma mais saudável de lidar com as disrupções. Nesse contexto, colaborar com entendimentos e compartilhar aprendizados é a melhor forma de desenvolver inteligência e de criar condições para agir eficazmente sobre as circunstâncias.

Assim, visando contribuir com entendimentos que informem sobre como a formação de equipes de trabalho alinhadas com a cultura organizacional pode ser um fator de competitividade para as empresas, a partir deste e, pelos próximos 13 posts, apresento o artigo do estudo realizado como requisito para conclusão da Pós-Graduação em Administração de Recursos Humanos, pela Universidade Federal do Ceará-UFC, sob orientação do Professor Dr. Marcos Antônio Martins Lima, cujo título é “A FORMAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES ALINHADAS À CULTURA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CAMPO REALIZADO NA FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO CEARÁ-FIEC”.